PERTENCER

Exposição individual

Local: Museu do Sabugal
Janeiro a Março 2019

O trabalho que tenho vindo a desenvolver é fruto de uma longa pesquisa pessoal precipitada pelo falecimento da minha avó materna, e desenvolve-se a partir do conceito da memória, da redescoberta de laços familiares, em especial com os antepassados. Algumas obras reflectem hábitos e vivências próprias da ruralidade, explorando a relação das pessoas com os objectos e o seu meio, contrapondo o actual despojamento numa cultura de carácter consumista e à gradual perda de identidade (pelo afastamento das nossas raízes progressivamente diluídas na memória colectiva).


Vestígios de um fio agrícola azul que está um pouco por todo o lado nas aldeias e nos campos, concentra em si as memórias dos antepassados, das suas acções visíveis no seu desgaste e na sua forma guardada ao longo do tempo. Hoje também eu deixo os meus vestígios e perpétuo esta marca da vivência rural, nas minhas interacções com a natureza e a paisagem que são uma contínua fonte de inspiração e sabedoria.


As técnicas utilizadas são variadas: desenhos, aguarelas, fotografias, pinturas, dactilografias, técnicas mistas.